segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

DONA ESCOLA DOMINICAL

(texto publicado na revista Voz Missionária adaptado por MARCIA CORRÊA)


(Entra um grupo de crianças):


Criança: Dona Escola Dominical, tudo bem?
Queremos conversar... podemos fazer uma entrevista?

Escola Dominical:Pois não, meus alunos e alunas! Que bom ! Sentem-se e digam o que vocês gostariam de saber?
( As crianças se sentam e cada uma pega papel e lápis, como se fossem anotar a entrevista).


Criança: Gostaríamos que a senhora nos contasse um pouco sobre sua origem.

Escola Dominical (deve ser acompanhada com música bem suave):
- Ah... isso foi há muito tempo lá na Inglaterra.
Era o ano de 1769. Eu nasci do sonho de uma jovem chamada Hanna Ball.
Nasci do amor, e do compromisso de cristãos com a criançada empobrecida do século XVIII.
Hanna, apoiada pelo Pastor John Wesley e muitas outras educadoras , que foram colaborando com o movimento, desenvolveram formas inéditas para alcançar essas crianças.
Era um tempo difícil, as famílias eram numerosas e trabalhavam muitas horas por dia. As crianças também trabalhavam de segunda a sábado. No domingo, único dia em que estavam livres do pesado trabalho, perambulavam soltas pelas ruas.
Hanna resolveu então juntar essas crianças no domingo para ensinar sobre o amor de Deus. Além da Bíblia, ela as ensinava a ler e escrever, ensinava também matemática e dava-lhes noções de higiene.

Criança: Tudo isso na Escola Dominical?

Escola Dominical: É, naquele tempo somente as crianças filhas das famílias mais ricas iam para a Escola, por isso a preocupação de ministrar todos esses conteúdos.
As crianças passavam praticamente todo o dia de domingo aqui, na Escola Dominical.

Criança: Gente, que legal. Como foi que se espalhou o movimento?

Escola Dominical: Bem, o tempo foi passando, o grupo foi crescendo e aos poucos os resultados começaram a aparecer. Aqueles encontros começavam a fazer diferença na vida daquelas crianças!
As pessoas viam os bons resultados e passavam a acreditar e apoiar o projeto. Foram surgindo outros grupos, outras Escolas Dominicais!!
Em 1780, um outro jovem chamado Roberto Raikes, jornalista em Gloucester, também na Inglaterra, deu um grande impulso ao movimento das Escolas Dominicais.
Ele herdou de seu pai um jornal e a situação dos meninos jornaleiros começou a preocupá-lo: tão pequenos e já trabalhando; vendendo seu jornal muitas vezes na chuva e no frio.
Sem instrução, crescendo nas ruas em meio a vícios e crimes...
Robert sentiu um profundo desejo de ajudá-los. Ele queria contribuir para que aquelas crianças tivessem alguma oportunidade de se tornarem pessoas úteis e felizes.Assim, começou a reuni-los na Escola Dominical.
Quatro anos depois, Robert Rakes recebeu o título de "Benfeitor dos Pobres", e já haviam Escolas Dominicais espalhadas por toda a Inglaterra.

Criança: Puxa, deu resultado mesmo, heim? E no Brasil, quando começou? Como foi que aconteceu?

Escola Dominical: Ah, no Brasil, a nossa primeira Escola Dominical foi fundada pelo Rev. Justin Spauding, em junho de 1836.
Infelizmente ele teve de retornar aos EUA e as reuniões da Escola Dominical foram suspensas. Quase 20 anos depois, em 1855, foi que o missionário congregacional Robert Kalley, fundou sua escola Dominical em Petrópolis.


Criança: É, faz muito tempo! Qual o segredo para continuar atraindo sempre tantas pessoas?

Escola Dominical: Esta é uma boa pergunta, meu filho. Realmente já estou com mais de duzentos anos... Mas o segredo é que eu me "renovo como a águia". As pessoas que vem aprender comigo são de todas as idades, por isso meu programa tem que ser continuamente atualizado e adequado a todas as idades. Não envelheço porque caminho sempre junto com os meus alunos e alunas.

2ª Criança: E as coisas costumam acontecer exatamente como o planejado?

Escola Dominical: Ah, infelizmente não! Existem muitas coisas que atrapalham o meu bom funcionamento. Naturalmente, agora não dá para lhes dizer tudo...

Criança: Sim, mas a senhora podia nos falar um pouco sobre as dificuldades que vem enfrentando?

Escola Dominical: Está bem. Vocês sabem que vivemos na Escola Dominical como em uma família, não é? Quando, às vezes, nos esquecemos disso, então eu não posso ir muito bem. Há outras dificuldades... Quando, por exemplo, os professores não se preparam bem para desenvolver sua missão; ou quando os alunos não estudam a lição em casa e conseqüentemente não contribuem muito no estudo em classe; quando os horários não são respeitados...
Eu não me sinto nada bem quando as pessoas não me levam a sério! E há ainda aqueles que fazem de conta que eu não existo: não estão nem aí para mim.

Criança: A senhora deve ficar muito triste quando estas coisas acontecem, não?

Escola Dominical: Olha, fico muito, muito triste! (Agora com a voz mais animada) Mas há também as muitas coisas boas que compensam: pessoas realmente preocupadas em estudar a Bíblia e conhecer qual a vontade de Deus para as suas vidas; os grupos se preparando para melhor servir a Deus; o Ministério da Escola Dominical se reunindo para planejar e avaliar as minhas atividades... Esta é a receita para que eu caminhe bem.

SEGUNDA PARTE

-TESTEMUNHOS:
01 representante de cada segmento (01 criança, 01 jovem, 01 pai ou mãe falando do atendimento que o/a filho/a recebe, 01 idoso) partilhando sobre o que represente a EBD na sua vida, o que acrescenta, etc. Quem sabe contar uma história que marcou...

Criança: Dona Escola Dominical, antes de irmos embora gostaríamos que a senhora soubesse que estamos muito felizes pelo fato da senhora existir e pela alegria que temos em conhecê-la e aprender de Jesus e da vida com a senhora!

Criança: Temos aprendido muitas coisas...

Criança: Temos aprendido a ser mais amigos e companheiros;

Criança: Temos aprendido a dar nossa contribuição para construirmos um mundo mais feliz como Deus quer;

Criança: É... a senhora tem nos ajudado a crescer como Jesus: em estatura, sabedoria e graça.


Criança: Damos graças a Deus porque podemos contar com a senhora, Dona Escola Dominical! E porque a cada domingo podemos estar aqui para aprender mais.


Criança: Em nome de todas as crianças a quem a senhora ajuda queremos lhe agradecer.


Criança: Em nome de toda família que a senhora orienta queremos lhe falar da nossa felicidade.

Criança: Em nome de toda a Igreja de Jesus queremos lhe dar os parabéns por nos ensinar tanto. Como presente preparamos uma música em sua homenagem, esperamos que goste e que anime ainda mais nossos encontros dominicais.

Música: (ESCOLHA UMA BEM BONITA)



Escola Dominical: Muito obrigada, crianças! Quero cumprimentar a todos aqueles que de alguma forma contribuem para o meu bom funcionamento: professores, coordenadores, alunos. Sem a ajuda de todos vocês, eu não poderia existir.Sem o empenho e o compromisso de todos vocês eu não cumpriria a contento minha missão enquanto agência de formação da Igreja, enquanto espaço de reflexão bíblica e preparação para o ministério para o qual Deus tem chamado a cada um.
E se você ainda não é meu aluno, experimente participar e descubra o quanto nossos encontros são especiais.

JOGRAL DECORADO

PARA APRESENTAR NA EBD


Todos: Vamos contar para todosNesta data festiva,Por que tanto amamosA Escola Dominical

1ª Criança: Amo a Escola Dominical porque nela eu aprendi que DEUS ME AMA.Está escrito: “Com amor eterno eu te amei, por isso com benignidade te atraí”. Jeremias 31.3

2ª Criança: Amo a Escola Dominical porque nela eu aprendi que DEUS ME GUARDA.Está escrito: “o Senhor é quem te guarda; o Senhor guardará a tua saída e a tua entrada, desde agora e para sempre”. Salmo 121:5 e 8.

3ª Criança: Amo a Escola Dominical porque nela eu aprendi que DEUS ME AJUDA.Está escrito: “ Porque Eu, o Senhor teu Deus, te tomo pela tua mão direita, e te digo: Não temas, que Eu te ajudo”. Is. 41.13

4ª Criança: Amo a Escola Dominical porque nela eu aprendi que DEUS ME ENSINA.Está escrito: “Vinde, e subamos na casa do Deus de Jacó, para que nos ensine os seus caminhos”. Malaquias 4.2

5ª Criança: Amo a Escola Dominical porque nela eu aprendi que DEUS ME DÁ SABEDORIA. Está escrito: “ Se, porém, algum de vós necessita de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente”. Tiago 1.5

Todas: Um pedido nós fazemosAo bom Pai celestial(em atitude de prece)Abençoa Deus amado, A Escola Dominical!


AS DUAS ESCOLAS

Preparação:

- Use flanelógrafo- prepare em cartolina ou papel cartão o desenho da escola "escola triste" e da "escola alegre"
- prepare também em cartolina flores pintadas com guache
- cole flanela ou lixa atrás para que as figuras possam aderir flanelógrafo.

Dramatização:

Dirigente:Porque hoje é o Dia da Escola Dominical, vamos contar-lhes a história da experiência de uma Escola Dominical.
( Enquanto as crianças fazem a leitura, o dirigente coloca no quadro a figura da Escola Triste).
Leitura (por cinco crianças):
1ª - Era uma vez uma Escola Dominical muito triste.
1ª, 2ª, 3ª, - Muiiiiiiiito triste mesmo!
- Rosto comprido...
- Olhos baixos...
3 ª- Sem sorriso...
Todas: Por que seria?
- Havia muitas razões.
- Começava pelo horário. Ela nunca começava nem terminava na hora certa.
- Os professores não se preparavam para ensinar a lição.
- Os alunos chegavam atrasados.
- Não traziam ofertas. Perdiam as revistas.
- Das Bíblias? Ninguém se lembrava.
Todas: POBRE ESCOLINHA TRISTE!!!
- E para cantar?
- desafinados...
- desanimados...
- E na hora da oração?
- Crianças conversando... Gente saindo e entrando...
Todas: POBRE ESCOLINHA TRISTE!!!
5ª - Quando aparecia um visitante...
- ninguém lhe cumprimentava,
- não lhe indicavam um lugar, nem lhe ofereciam uma revista.
3ª - E o visitante nunca mais aparecia.
Todas: POBRE ESCOLINHA TRISTE!!!(intervalo, com música pesada e triste)
Dirigente:Mas o tempo passou, e um dia...(trocar no quadro a figura da "Escola Triste" pela "Escola Alegre")
Dirigente:Um dia, que alegria!!! Tudo mudou. A Escola Triste, alegre ficou... Mas, o que foi? O que aconteceu? Foi um milagre?(outras 5 crianças vão chegando e colocam flores ao redor da Escola Alegre, dizendo o que significam:)
- A Escola agora começa e termina suas atividades na hora.
- Os professores não faltam e se preparam para ensinar.
- Os alunos são assíduos e pontuais.
- Todos prestam atenção na hora da lição.
- Cantam com alegria. Há silêncio na hora da oração
- Trazem flores. Dão ofertas.
- Os visitantes são recebidos com alegria.
Dirigente:E nunca mais aquela Escola ficou triste. É agora uma Escola viva, que cumpre a sua missão.
Todos: ( Cantam com a música do hino "ESCOLHA UM HINO BEM ANIMADO)
"Agora aquela Igreja, cumpre a sua missão,
Ensina a todo mundo viver como cristão.
Seguindo o exemplo do melhor Professor,
Ensina a todo mundo a praticar o amor.
"Duas crianças falam:
1ª - E a nossa Escola, como é que é?Desanimada? Ou forte, de pé?
- Vamos todos prometer, nesta data especial,
Amar e tudo fazer pela nossa Escola Dominical

por: OSMARY CARDOSO PEREIRA.

CAÇA OBJETOS

BRINCADEIRAS E DINÂMICAS

Material: Bíblia, chave bíblica, apito, placar para anotar pontos .
Selecione objetos fáceis de encontrar no local onde será realizada a gincana e usando uma chave bíblica, escolha um versículo onde aquele objeto aparece:


Gênesis 11. 3: (TIJOLO) / Juizes 19. 5 (PÃO) / Lucas 14. 34 (SAL) / Provérbios 6. 6 (FORMIGA) / Mateus 16. 19 (CHAVE) / Jó 6. 6 (OVO) / I Timóteo. 6. 10 (DINHEIRO) / Atos 1. 5 (ÁGUA) / Ester 8. 2 (ANEL) / Mateus 3. 4 (CINTO) / Gênesis 1. 1 (TERRA) / Hebreus 12. 15 (RAIZ) / Gênesis 14. 23 (SANDÁLIA) / Neemias 2. 3 (FOGO)

Divida a turma em times. Faça uma fila com cada time, assim, somente o primeiro da fila irá procurar o objeto, até que todos tenham chance de participar.
Leia o versículo dando ênfase à palavra/objeto a ser procurado.
Ganha pontos para o seu time o primeiro que retornar com o objeto pedido; você pode dar pontos também para os demais que conseguirem o objeto até um determinado tempo.
Use um apito para avisar que o objeto já foi achado ou que o tempo terminou.

A PALAVRA DE DEUS QUE TRANSFORMA

DINÂMICA

Objetivo: Fazer o grupo refletir de que forma assimilamos a PALAVRA DE DEUS em nossas vidas.



Material:
- uma bolinha de isopor

- um giz

- um copinho descartável de café

- uma esponja

- uma vasilha com água.


Desenvolvimento:Primeiro se explica que a água é a Palavra de Deus e que os objetos somos nós.

Coloca-se a água na vasilha e vamos mergulhar cada um dos objetos na vasilha: o isopor, o giz, depois o copo descartável e por último a esponja.

Então refletimos:

- Como a Palavra de Deus age na minha vida?

- Eu estou agindo como o isopor que não absorve nada e também não afunda ou aprofunda?

- Ou estou agindo como o giz que guarda/absorve a água para si sem partilhar com ninguém?

- Ou ainda agimos como o copinho que tinha água só para passar para os outros, mas sem guardar nada para si mesmo?

- Ou agimos como a esponja absorvendo bem a água e mesmo espremendo continuamos com água?

Versículos Bíblicos:II Timóteo 2:15; Hebreus 4:12II Timóteo 3:16; 17 Tiago 1:22

domingo, 27 de janeiro de 2008

CONCEITOS QUE AS CRIANÇAS PODEM APRENDER


A respeito de Deus:
Deus é real
Deus é sábio
Deus é bom
Deus ama todas as pessoas
Deus me ama
Deus quer que eu o ame

A respeito do pecado e salvação:
Deus tem regras
Deus quer que façamos o bem
Deus sempre me ama
Deus não quer que façamos coisas ruins
Algumas coisas que faço são boas, outras são ruins ,se me arrepender de algo errado que fiz, Deus me perdoa.


A respeito de Oração:
Oração e conversar com Deus
Deus entende o que eu falo
Posso orar em qualquer ora em qualquer lugar
Posso orar sozinho
Posso orar com os outros
Posso falar com Deus que o amo
Posso pedir perdão para Deus
Posso pedir a Deus que me ajude

A respeito da Bíblia:
É o livro especial de Deus
Ela me fala a respeito de Deus e de Jesus
Suas história são reais
Ela nos mostra o que é bom e que mal, o que é certo e o que é errado


A respeito de Jesus:
Jesus é uma pessoa real
Jesus viveu na terra
Jesus é o filho de Deus
Jesus morreu pelos meus pecados
Jesus está vivo
Jesus mostrou o amor à Deus
Jesus ama todas as pessoas
Jesus me ama
Jesus era bondoso para as pessoas.

A respeito da Igreja:
Sou importante para Deus
Faço Deus feliz quando compartilho
Faço Deus feliz quando obedeço
Faço Deus feliz quando digo a verdade
Faço Deus feliz quando digo "Obrigado"!
Faço Deus feliz quando ajudo as pessoas
Quando ajudamos os outros agradecemos a Deus.





CRÉDITOS AO CENTRO EVANGELÍSTICO EBG

AVALIAÇÃO DA ESCOLINHA INFANTIL

DE ACORDO COM A REALIDADE DA SUA IGREJA RESPONDA SIM OU NÃO AS PERGUNTAS FORMULADAS:
  1. Recepção: Os recepcionistas em sua igreja cumprimentam as crianças da mesma forma como fazem com os adultos?
  2. Murais: Vocês possuem um mural atrativo e colorido, na altura da vista das crianças, no saguão da igreja?
  3. Kit de boas-vindas: Vocês possuem algum adesivo ou cartão especial de “boas-vindas” outro incentivo para as crianças visitantes?
  4. Placas identificadoras das salas das crianças: Há placas identificadoras nas respectivas salas da Escolinha Bíblica das crianças?
  5. Mobiliário adequado: As salas das crianças possuem mesa onde possam pintar e desenhar?
  6. Cor: As salas das crianças são coloridas ou são decoradas com motivos infantis e versículos bíblicos?
  7. Programa de Atividades: Existe uma programação especial para as crianças que demonstram que são importantes para a igreja?
  8. Móveis adequados à idade: Existem mesas, cadeiras, bebedouros, banheiros e outros mobiliários adequados às crianças?
  9. Fotos de crianças. Existe um mural com fotos e atividades realizadas pelas crianças?
  10. Participação: As crianças são incluídas de uma forma significativa no culto?
  11. Atividades extra-classe: As crianças recebem material escrito para atividades a serem realizada em casa?
  12. Coordenação: Existe uma pessoa na sua igreja responsável pela Escolinha Bíblica?
  13. Divulgação: Existe uma rotina do pastor avisar da existência da Escolinha Bíblica no início de cada culto?
  14. Importante: Se na sua igreja nenhum dos fatores acima está funcionando, mas os membros têm amor pelas crianças e demonstram que elas são importantes, já está muito bom. Vocês têm o melhor ingrediente para o sucesso!

quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

PLANO DE AULA PARA ESCOLA BÍBLICA

Professor(a): _____________________________________________

Turma: ___________________________ Data: _____/______/_____

Rotina:
*Entrada – Crachá (é importante saber o nome dos alunos), conversa amigável, o bom professor se interessa pelo alunos.

*Escolha dos ajudantes (Crachá especial ou boné) tarefas: arrumar a sala; cadeiras; cestas; limpar o chão.

*Rodinha:

*Louvor – a escolha das crianças - louvor mais ativo com gestos

*Ofertas – incentivar as crianças a ofertarem

*Oração – pelos professores, alunos, familiares e a lição do dia, caixinha de pedido de oração

*Banheiros e lanches:

* Crianças menores: trenzinho

*Crianças maiores: 4 meninos depois 4 meninas

*Nome da Lição:

*Texto Base Bíblica:

*Versículo para memorizar:

*Objetivos da Lição:

  • Saber:
  • Sentir:
  • Agir:

*Motivação para a Lição:

*Esboço da História:

  • (Introdução):
  • (Andamento) :
  • (Clímax):
  • (Conclusão) :
  • (Oração):

*Memorização do versículo :

*Recursos visuais que vão utilizar na lição e versículo:
*Fixação da lição (trabalho manual):

*Dramatização:

terça-feira, 22 de janeiro de 2008

COMO LEVAR UMA CRIANÇA A CONSAGRAÇÃO

  1. Interrogue a criança quanto a sua salvação, dando-lhe a oportunidade de confessar a Cristo para você,Se ela não estiver convicta neste aspecto, não estará pronta para consagração .Continue com os passos indicados em como levar uma criança a Cristo .
  2. Se ela já tiver certeza da sua salvação, leve-a dar -se a Deus hoje, obedecendo inteiramente tudo o que ela sabe que Deus deseja que ela faça (RM 12:21; 1 CO 6:19,20).
  3. Mostre-lhe que o Espírito Santo, que nela mora, ensinará, através da bíblia, o que Ele quer que ela faça cada dia (JO 14:26). Por exemplo: obedecer aos pais (CL 3: 20), testemunhar de Cristo onde estiver (AT 1:8), separar um tempo para ler a Bíblia e orar ( 1 TM 2:1-5 ; 4:15; 2 TM 2:15), viver para agradar a Deus em todas as áreas da sua vida (1 TM 4:12).
  4. agora que você já conversou sobre todas essas coisa com a criança, leve-a a fazer uma oração de dedicação: "Querido Senhor Jesus, hoje eu me dou ao Senhor. Quero que o Senhor tome o controle da minha vida. Ajude-me a viver cada dia para agradar-lhe e ser fiel em ler a Tua Palavra para que eu conheça o Teu plano para mim''.Ajude a criança a fazer também uma oração de agradecimento.
  5. Ajude a criança a compreender que é pecado tomar o controle de sua vida novamente, e que , ao pecar, ela deve confessar a Deus , confiando que ele a perdoará. E então, deixar que Ele ,mais uma vez , dirija sua vida (1 JO 1: 9; PV 3:5,6).

COMO LEVAR UMA CRIANÇA À CRISTO



  1. Mostre-lhe a sua NECESSIDADE de salvação; que nem todas as pessoas irão para o céu; que ninguém é suficientemente bom para ir (RM 3:23; AP 21:27; JO 8:21,24).

  2. Mostra-lhe o CAMINHO da salvação. A salvação é um presente gratuito porque o Senhor Jesus tomou o nosso lugar na cruz, foi sepultado e ressuscitou dentre os mortos(JO3:16; EF 2:8; 1 CO 15:3,4)

  3. Leve-a a RECEBER o presente da salvação,Jesus Cristo, confiando nEle como seu Salvador pessoal ( JO 1:12; AP 3:20).

  4. Através da Palavra de Deus, ajude-a a TER SEGURANÇA de sua salvação(JO 3:36; AP 3:20; HB 13:5)

  5. Leve-a a CONFESSAR a Cristo (MT 10:32). Esta confissão deve ser feita a você, a outros obreiros, e depois aos amigos. Se as circunstâncias permitirem, a criança poderá fazê-lo até mesmo num programa da igreja.

COMO INCENTIVAR A FREQUÊNCIA NA ESCOLA BÍBLICA

*ANTES DE TUDO, AS LIÇÕES BÍBLICAS DEVEM SER REGADAS COM AS LÁGRIMAS DA ORAÇÃO.
*A BÍBLIA É A PALAVRA DE DEUS ;
*DEVE TER A UNÇÃO E AUTORIDADE DO ESPÍRITO SANTO.
SEM ESSE INGREDIENTES JAMAIS PODEREMOS TRANSFORMAR VIDAS.
*AS AULAS TEM QUE SER INTERESSANTES.
*SE O PROFESSOR NÃO SE PREPARAR PARA DAR AULA, NÃO HAVERÁ BOA FREQUÊNCIA POR NÃO SE SENTIREM ATRAÍDOS.
*QUANDO ENVOLVEMOS O ALUNO NO ESTUDO E PERCEBEMOS O QUANTO SÃO RECEPTIVOS, PODEMOS DESPERTAR INTERESSE COM UMA PERGUNTA OU MESMO DANDO-LHES UMA TAREFA COMO; FAZER UM RESUMO DA LIÇÃO; OU FORMULAR PERGUNTAS PARA TRABALHAR NO FINAL DA AULA.
*NUNCA DEIXANDO DE VALORIZAR TUDO O QUE O ALUNO FAZ, ISSO TAMBÉM É UM INCENTIVO.
* VISITAR SEMPRE QUE POSSÍVEL SEUS ALUNOS.
O ALUNO SE SENTIRÁ VALORIZADO COM A VISITA DO SEU PROFESSOR; É NESSA OPORTUNIDADE QUE PODE SER CONHECIDA TODA FAMÍLIA E DETECTADA ALGUMA POSSÍVEL NECESSIDADE, MATERIAL OU ESPIRITUAL PARA SER AJUDADA.
* SE O ALUNO NÃO RECEBER A ATENÇÃO DO PROFESSOR, DIFICILMENTE FREQUENTARÁ A E. B.D.
O PROFESSOR DEVE ESTAR SEMPRE AVALIANDO SEU TRABALHO COM AS SEGUINTES PERGUNTAS:

  1. HÁ BOA FREQUÊNCIA NA MINHA CLASSE DA E.B.D?
  2. HÁ PARTICIPAÇÃO?
  3. HÁ INTERESSE?
  4. HÁ TRANSFORMAÇÃO DE VIDAS?
  5. HÁ CRESCIMENTO?

POIS TUDO ISSO É RESULTADO DE UM TRABALHO EFICIENTE DO PROFESSOR E DA EQUIPE DA ESCOLA DOMINICAL.

TODA EQUIPE TRABALHANDO UNIFORME MENTE PELO MESMO OBJETIVO, CERTAMENTE HAVERÁ RESULTADOS POSITIVOS.

REFLEXÕES QUE SE MULTIPLICAM

DEVOCIONAL DA SEMANA:


VALORIZAR QUALIDADES

CONTAM QUE NA CARPINTARIA HOUVE UMA ESTRANHA ASSEMBLÉIA .
FOI UMA REUNIÃO DE FERRAMENTAS PARA ACERTAR SUAS DIFERENÇAS.
UM MARTELO EXERCEU A PRESIDÊNCIA, MAS OS PARTICIPANTES LHE NOTIFICARAM QUE TERIA QUE RENUNCIAR.
A CAUSA?
FAZIA DEMASIADO BARULHO; E ALÉM DO MAIS, PASSAVA TODO O TEMPO GOLPEANDO.O MARTELO ACEITOU SUA CULPA, MAS PEDIU QUE TAMBÉM FOSSE EXPULSO O PARAFUSO, DIZENDO QUE ELE DAVA MUITAS VOLTAS PARA CONSEGUIR ALGO.
DIANTE DO ATAQUE, O PARAFUSO CONCORDOU,, MAS POR SUA VEZ, PEDIU A EXPULSÃO DA LIXA.DIZIA QUE ELA ERA MUITO ÁSPERA NO TRATAMENTO COM OS DEMAIS , ENTRANDO SEMPRE EM ATRITOS.
A LIXA ACATOU, COM UMA CONDIÇÃO DE QUE SE EXPULSASSE O METRO QUE SEMPRE MEDIA OS OUTROS SEGUNDO A SUA MEDIDA, COMO SE FORA O ÚNICO PERFEITO.
NESSE MOMENTO ENTROU O CARPINTEIRO, JUNTOU O MATERIAL E INICIOU
O SEU TRABALHO.
UTILIZOU O MARTELO, A LIXA , O METRO E O PARAFUSO.
FINALMENTE, A RÚSTICA MADEIRA SE TRANSFORMOU NUM LINDO MÓVEL.
QUANDO A CARPINTARIA FICOU NOVAMENTE SÓ, A ASSEMBLÉIA REATIVOU A DISCUSSÃO.
FOI ENTÃO QUE O SERROTE TOMOU A PALAVRA E DISSE:
_ SENHORES,FICOU DEMONSTRADO QUE TEMOS DEFEITOS , MAS O CARPINTEIRO TRABALHA COM NOSSAS QUALIDADES, COM NOSSOS PONTOS VALIOSOS. ASSIM, NÃO PENSEMOS EM NOSSOS PONTOS FRACOS, E CONCENTREMOS EM NOSSOS PONTOS FORTES.
A ASSEMBLÉIA ENTENDEU QUE O MARTELO ERA FORTE, O PARAFUSO UNIA E DAVA FORÇA, A LIXA ERA ESPECIAL PARA LIMAR E AFINAR ASPEREZA , E O METRO ERA PRECISO E EXATO.
SENTIRAM -SE ENTÃO COMO UMA EQUIPE CAPAZ DE PRODUZIR MÓVEIS DE QUALIDADE.
SENTIRAM ALEGRIA PELA OPORTUNIDADE DE TRABALHAREM JUNTOS.
OCORRE O MESMO COM OS SERES HUMANOS. BASTA OBSERVAR E COMPROVAR. QUANDO UMA PESSOA BUSCA DEFEITOS EM OUTRA, A SITUAÇÃO TORNA-SE TENSA E NEGATIVA; AO CONTRÁRIO, QUANDO SE BUSCA COM SINCERIDADE OS PONTOS FORTES DOS OUTROS, FLORESCEM AS MELHORES CONQUISTAS HUMANAS.
É FÁCIL ENCONTRAR DEFEITOS, QUALQUER UM PODE FAZÊ-LO.
MAS ENCONTRAR QUALIDADES....ISTO SIM É PARA OS SÁBIOS!!!!!


AUTOR DESCONHECIDO






.

quinta-feira, 17 de janeiro de 2008

VOCÊ GOSTARIA DE CONHECER JESUS????


Deus fez várias pessoas.

Deus ama a todos
em todos os lugares.
Deus ama as crianças
e os adultos.





Deus te ama

e quer se tornar seu amigo.




Deus enviou seu filho Jesus para

nos mostrar como se tornar seu amigo.




Para conhecer Jesus...


Primeiro converse com Jesus

como se você estivesse falando

com um amigo.
Isso se chama orar!


Agradeça a Jesus por ele te amar

e peça a ele para ser

seu amigo para sempre.



E Ele será seu melhor amigo!



Todos os dias fale com Jesus.

Conte com ele quando

você estiver triste ou feliz.



Descubra mais coisas

sobre Jesus na Bíblia




Agora que você já pediu a

Jesus para ser seu amigo...


Você pode começar aprendendo
um versículo da Bíblia sobre Jesus:




Porque Deus amou o mundo
de tal maneira
que deu seu único filho
para que todo aquele que nele crer
não morra, mas tenha a vida eterna.João 3: 16

Os "EU SOU" de Cristo

Com a intenção de ajudar-nos a compreender os vários aspectos de sua pessoa e obra, o Senhor Jesus ensinou, usando figuras de palavras, comparando-se às coisas do dia a dia:

O Alfa e o Ômega (Apocalipse 22.13)

Alfa e Ômega a primeira e a última letras do alfabeto grego, A e o Z. Jesus estava dizendo que Ele é o começo e o fim, o Deus Filho, que sempre existiu. Ele se achava presente antes do mundo começar e continuará presente depois dele ter acabado. Foi Ele quem criou todas as coisas: as galáxias, o mundo e tudo que nele há incluindo você e eu (João 1: 1-3; Colossenses 1.16). Ao usar essa figura, Jesus nos lembra que Ele jamais nos abandonará. Estará conosco para sempre. Ele deve ter o primeiro lugar em nossas vidas.

A Raiz e a Geração de Davi (Apocalipse 22.16a)

Ao descrever a Si mesmo em palavras, geralmente, usadas para explicar o lugar de um indivíduo em sua árvore genealógica, Jesus estava mostrando que Ele é tanto o ancestral original quanto o descendente do rei Davi. Desde que é impossível para um ser humano comum estar tanto na base quanto no alto de uma árvore genealógica, Jesus mostrou novamente que Ele é tanto Deus quanto homem. Na condição de “raiz” de Davi, Ele se revelou como existindo antes de Davi. Esteve presente na criação; foi responsável pela existência de Davi. Como “Geração” de Davi, Jesus está indicando sua humanidade – Ele nasceu judeu, um descendente do rei Davi; Jesus é o Messias prometido, o Deus-homem.


A Brilhante Estrela da Manhã (Apocalipse 22.16b)

Algumas vezes, bem cedo, pouco antes do amanhecer, uma estrela brilha com mais força do que todas as outras. Nós chamamos essa estrela de alto brilho (na verdade um planeta) de “estrela da manhã”. Ela parece estar dando as boas-vindas ao novo dia, nos dando a esperança de que a escuridão logo irá embora. Essa “estrela" continua brilhando mesmo depois do dia clarear e ter apagado o brilho de todas as outras. Jesus está dizendo: “Vou permanecer quando todos tiverem ido embora, e o que você receber de mim vai durar depois que tudo o mais no mundo tenha desaparecido”. Jesus veio para as trevas deste mundo pecador para oferecer-nos a esperança do perdão e da Vida Eterna. Se você O conhece, não tem nada a temer. Quando esta vida terminar, você irá viver para sempre com Ele.

O Pão da Vida (João 6.32-35)

Usamos a palavra “pão” para falar do alimento básico que mantém vivo o nosso corpo. Assim como nossos corpos sentem fome de alimento, nossas almas sentem fome de perdão e paz. Só Jesus pode satisfazer a fome da sua alma. Assim como o pão não fará qualquer bem a você a não ser que entre em seu corpo, Jesus não irá salvá-lo até que você O receba como seu Salvador do pecado. Uma vez que faça isso, o Senhor irá continuar “alimentando” você espiritualmente mediante a Sua Palavra (Jo 23.12)

A Luz do Mundo (João 8.12)

A escuridão é muitas vezes usada como um símbolo do mal, do pecado e da ignorância. Jesus diz que Ele é a Luz do Mundo. Ele não é uma dentre muitas luzes; é a única “luz” que pode fazer desaparecer nossas trevas espirituais. Jesus é como o sol que brilha sobre todos no mundo inteiro. Para entrar na “luz”, a pessoa deve admitir a escuridão do seu pecado e receber Jesus como seu Salvador. Os crentes são também chamados de “luz do mundo” (Mateus 5.14). Mas, somos luzes diferentes. Como a Lua reflete a luz do sol, nós refletimos a verdade e a pureza do Senhor Jesus.

A Porta e o Bom Pastor (João 10.7-15)

Quando Jesus viveu na terra, muitos de seus conterrâneos cuidavam de rebanhos de ovelhas. Os que tomavam conta das ovelhas chamados pastores. À noite, as ovelhas eram mantidas num cercado com uma única passagem. Não havia portão (ou porta) nessa entrada. O pastor ficava deitado na passagem – ele era a porta. Desse modo, ninguém podia entrar ou sair do cercado sem passar por ele. As ovelhas estavam a salvo desde que o pastor se encontrasse na entrada. Jesus é o único que pode garantir-nos entrada no Reino dos Céus. Uma vez que esteja no seu reino, você pode descansar em segurança, sabendo que Jesus é o seu protetor. Ele prometeu ser também o seu provedor.Alguns pastores cuidavam muito bem de suas ovelhas. Os animais eram bem alimentados; pastavam e dormiam em segurança. Outros eram descuidados. Jesus chama a Si mesmo de "O Bom Pastor" e chama de suas ovelhas os que O receberam. O Senhor ama as suas “ovelhas”. Como nosso Bom Pastor, Jesus nos garante que irá suprir todas as nossas necessidades (Salmo 23). Do mesmo modo que o pastor protegia suas ovelhas dos leões e ursos, Jesus nos protege de nosso inimigo, o diabo, que busca nos “devorar” (1 Pedro 5.8) Alguns pastores eram “empregados” e não donos das ovelhas que cuidavam. Quando havia perigo, esses pastores fugiam e deixavam o rebanho desprotegido. O bom pastor, de outra maneira, estava disposto a tudo pelas suas ovelhas – até a dar sua própria vida. Visto que Jesus, seu Bom Pastor deu sua vida na Cruz para pagar pelo seu pecado, você pode, certamente, confiar n'Ele para permanecer a seu lado a vida inteira, suprindo todas as necessidades (Hebreus 13.5-6).

A Ressurreição e a Vida (João 11.25-26)

Por ser o Criador, Jesus tem poder sobre a vida e a morte. Ele mostrou seu poder sobre a morte quando ressuscitou. Quando Jesus foi ressuscitado (trazido de volta à vida ), Ele derrotou a morte. Ele é o único com poder para dar nova vida espiritual, faz de você uma “nova criatura” (2 Coríntios 5.17). Quando seu corpo morre, o seu verdadeiro “eu” vai viver com Ele. Um dia o seu corpo também será ressuscitado.

O Caminho, a Verdade e a Vida (João 14.6)

Quando você viaja, tem de escolher a estrada ou o caminho certo, para que possa chegar ao seu destino. Jesus chama a si mesmo de o CAMINHO porque só ao aceitá-lO como Salvador, podemos chegar ao céu.O Senhor chama a si mesmo de a VERDADE porque, sendo a Bíblia a Palavra escrita (o termo grego é logos) da verdade (João 17.17), Ele é a Palavra viva (logos) da verdade (João 1.1). Ao chamar Jesus de logos, João o identifica como a expressão visível de Deus, Deus em forma humana. Jesus é o único ser humano que compreendeu completamente, falou e viveu a verdade. Durante a sua vida na terra, Ele viveu perfeitamente os ensinamentos da Palavra de Deus. E nos diz que “a verdade”, isto é, Ele mesmo, “nos liberta” (João 8.32,36). Com a verdade viva, Jesus nos liberta da culpa e da vergonha do pecado. Ele nos liberta para vivermos piedosamente.Jesus chama a si mesmo de a VIDA porque é Deus Filho, que tem vida em si mesmo (João 5.26). Quando O aceitamos, Ele traz vida aos nossos espíritos que até então estavam mortos no pecado (João 3.36). Esta vida espiritual nos capacita a ver o mundo sob uma nova perspectiva (João 10.10/ 1 Timóteo 6.17b) e a viver cada dia de modo agradável a Deus (Filipenses 4.13/ 1 João 4.4). Por termos a sua nova vida, iremos juntar-nos ao Senhor nos Céus. Nosso lar eterno.

A Videira (João 15.5)

A videira é o tronco principal de uma planta. É a videira que dá vida e alimento aos ramos. Jesus nos diz que Ele e a videira e nós os ramos. A não ser que esteja na videira, ele não pode viver ou produzir fruto. Separado de Jesus, não temos a Vida Eterna. Nem podemos realizar nada para Ele. Sem Jesus, nada podemos fazer.

terça-feira, 15 de janeiro de 2008

DEVOCIONAL DA SEMANA

Deus Sabe Tudo

Aprendi muitas coisas novas na escola, hoje – disse Carla à mãe.
- Que bom! Fico feliz em ouvir isso – exclamou a mãe.
– Você já aprendeu um bocado este ano. Mas, existe alguém que sabe mais do que você?
- Minha professora – respondeu Carla. – Ela é esperta mesmo.
- Sim – concordou a mãe. – Mas estou falando de alguém que sabe mais que ela. Alguém que sabe tudo.
- Ah! Acho que você está falando de Deus – disse Carla.
– É isso ai! – concordou a mãe. – Deus sabe o que você fez na escola hoje, e também o que fez ontem. Ele a ama, sabe seu nome, sabe onde você mora, sabe exatamente o que cada pessoa deste mundo está fazendo. Sabe o que você quer ganhar no seu aniversário, e se é bom ou não para você. Ele vê quando você ajuda os outros, e se alegra com isso. E quando você faz mal criação ou outra coisa errada, também vê, e se entristece. Deus sabe tudo!
Sim, Ele conhece todas as coisas. E tem o melhor para nós, e se perguntarmos, nos dirá o que devemos fazer. Ele dirá se você deve ser mecânico ou dentista, ou outro profissional qualquer; ou, quem sabe, um missionário que cruza os mares para ir à terras distantes dizer às pessoas que Jesus é o Salvador.
Como é bom saber eu Deus nos ajuda a decidir o que é melhor para as nossas vidas. Seria tolice não pedir o seu conselho, a sua ajuda e a sua sabedoria.

Leitura da Bíblia:
Eu sou Deus, e não há outro Deus, não há outro semelhante a mim; que anuncio o fim desde o principio e, desde a Antiguidade, as coisas que ainda não sucederam. Isaías 46.9-10

Questionário:
Você sabe o que, provavelmente, estará fazendo na próxima semana?
Fale sobre seus planos?
Quem sabe o que você estará fazendo no ano que vem?
Por que Deus pode nos ajudar a tomar decisões certas?

Oração:
• Senhor meu Deus, obrigado porque posso falar com o Senhor e ser ouvido. Fico feliz de saber que conhece tudo a meu respeito, e sabe o que penso e vou fazer. Amém!

VOCÊ TEM O QUE É NECESSÁRIO?




O que é necessário para ser um bom professor? Treinamento, materiais de ensino adequados, e talvez uma sala bem equipada na qual ensinar? Estas coisas contribuem para o ensino bem feito; mas, vamos pensar além da superfície: o que é necessário interiormente para ser um bom professor? Se definirmos o ensino cristão como comunicando conhecimento, guiando na descoberta da verdade e, finalmente, produzindo mudanças na vida do estudante, então o próprio professor é evidentemente a chave do processo. Cumprir o papel de professor exige mais do que os elementos externos, exige certas características internas. Como professor, você deve começar verificando a sua posição diante de Deus. Uma vez que tenha colocado sua fé em Jesus Cristo, você possui o Espírito de Deus para ajudá-lo a desenvolver as qualidades interiores essenciais ao ensino eficaz. Como você se classifica? Você está sendo...


Receptivo ao Ensino - reconhecendo que o bom professor deve também aprender? Se deixar de apreender não terá consequentemente nada a ensinar (Provérbios 2.3-5). – Estou aberto a novos métodos e idéias, esforçando-me constantemente para aperfeiçoar minhas habilidades de ensino?

Entusiasta - compartilhando com os alunos seu entusiasmo sobre o que Deus vem ensinando a você? O entusiasmo é contagioso. Seus alunos podem compartilhá-lo com você. (Colossenses 3.23,24) – Transmito interesse e expectativa quando apresento as verdades de cada lição?


Acessível - Mantendo autoridade, sendo todavia um amigo dos alunos? Encontre o equilíbrio entre ser o líder e, ao mesmo tempo, alguém com quem eles possam rir, orar e ser autênticos – alguém em quem possam confiar (2 Corintios 1.3,4) – Meus alunos sentem liberdade para conversar comigo sobre assuntos pessoais? Aprende a ser amigo deles sem diminuir o seu respeito por mim como professor?


Consagrado - Entregando minha pessoa e meus alunos inteiramente a Deus? Compreenda que o ministério do ensino é obra d'Ele, e você um colaborador convidado (1 Corintios 3.9) – Entreguei minha pessoa e minha classe a Deus? Estou permitindo que Ele trabalhe em mim e por mim, ou estou insistindo em fazer sozinho o trabalho?


Honesto - Reconhecendo meus pontos fortes e admitido minhas fraquezas? Deus quer você veja a sua pessoa e o seu trabalho da perspectiva d'Ele. Use com confiança os dons que ele lhe concedeu, mas procure também a sua ajuda nas áreas em que sentir qualquer deficiência (2 Corintios 12.9) – Sou sincero perante Deus e comigo mesmo sobre o meu ministério – agradeço a Ele pelas habilidades que me deu, mas também procuro a Sua ajuda aperfeiçoar meus pontos fracos?


Paciente - Perseverante em meio às dificuldades do meu ministério? Pressão de tempo, problemas de disciplina, falta de cooperação – esses problemas e outros fazem o professor desejar desistir (2 Tessalonicenses 3.13) - Ao enfrentar circunstâncias difíceis, peço ajuda a Deus para manter meu compromisso com Ele? Examino os meus motivos e busco a orientação de Deus antes de tomar a decisão de desistir?


Disposto - Preparando-me interiormente para a aula e decidindo fazer uma abordagem ordeira do ensino? Programe tempo para ficar a sós com Deus e preparar-se adequadamente. A batalha espiritual começa antes de você entrar na sala de aula! (2 Timóteo 2.15) – Estou preparando interiormente para a batalha espiritual? Separo tempo suficiente para me organizar e preparar-me para o ensino?


Sensível - Atento à orientação do espírito Santo e às necessidades de meus alunos? Fique sintonizado no Espírito Santo e nas necessidades da sua classe. Você irá então causar impacto em seu coração e não apenas em sua mente! (João 14.26) – Eu ensino “Lições ou crianças? Sou guiado pelo “eu” ou pelo Espírito em meu ensino?


1. Receptivo ao Ensino

2. Entusiasta

3. Acessível

4. Consagrado

5. Honesto

6. Paciente

7. Disposto

8. Sensível


Estas são as únicas qualidades necessárias ao bom professor? Não! O bom professor é disciplinado, paciente, fiel, sincero, leal – a lista poderia continuar indefinidamente. Mas esse é um ponto de partida. Você tem o que é necessário? A lista abaixo talvez possa tornar-se a sua lista de oração pessoal:

-“Senhor, dá-me um espírito receptivo ao ensino. Abre os meus olhos para a Tua verdade. Ensina-me a melhor maneira de servir-te”.

-“Deus, ajuda-me a ser entusiasta sobre o que estás me ensinando. Que a minha classe compartilhe o meu entusiasmo sobre as verdades que me estás dando para ensiná-la”.

- “Deus, faz de mim um líder sábio para os meus alunos, mas que eles possam também confiar em mim como amigo”.

-”Deus, consagro minha pessoa e minha classe a Ti. Ajuda-me a colaborar contigo em teus planos para esta classe”.

-“Deus, agradeço os dons e habilidades que me deste; ajuda-me a ver as áreas em que tenho deficiências (mencione as mesmas a Deus), e mostra-me como posso aperfeiçoá-las”

-“Deus, dá-me um espírito paciente e um coração disposto a continuar com o ministério que me deste. Não permitas que eu desista, a não ser que me mostres claramente que está na hora de mudar”.

-“Deus, prepara o meu coração para ser o professor que desejas que eu seja; ajuda-me a organizar o meu tempo a fim de estudar cuidadosamente minha aula desta semana”.

-“Deus, torna meu coração sensível ao Teu Espírito e á Tua Palavra enquanto ensino; que eu possa perceber e responder às necessidades de meus alunos”.
Há muito a ser dito quanto ao treinamento, materiais de ensino adequados, e equipamento de ultima geração na classe. Mas, para o verdadeiro ensino acontecer – ensino que leva à mudança – você, o professor, é a chave (1Tessalonicensses 2.13).
Você está permitindo que Deus coloque essas qualidades interiores em sua vida? O que aconteceria na sua próxima aula se você usasse todos os dias desta semana essa lista como um guia para o período de oração pessoal? Tente e descubra!
Deixe que Deus trabalhe em você esta semana, em sua casa, para que Ele possa trabalhar por meio de você na sala de aula na próxima semana (João 16.13-15; 2 Corintios 3.18)

A MENSAGEM DA SALVAÇÃO POR MEIO DA MÃO

UM MEIO ÚTIL PARA COMPARTILHAR A MENSAGEM DA SALVAÇÃO












USANDO A MÃO COMO UM VISUAL , COMUNIQUE A MENSAGEM DA SALVAÇÃO;


MODELO DA LUVINHA


Comece com o polegar e explique cada verdade, usando um versículo bíblico para mostrar que esta é a Mensagem de DEUS.





sábado, 12 de janeiro de 2008

MEMORIZAÇÃO DE VERSÍCULOS.

No salmo 119.11 nós lemos: “Guardo no coração as tuas palavras para não pecar conta ti!”.A infância é o tempo ideal para ensinamentos as verdades da palavra de Deus, as crianças. Quando elas realmente guardam a palavra de Deus em seus corações nunca mais se esquecem. Quando estamos ensinado o Espírito Santo poderá usar esta palavra, mesmo depois de muito tempo para edificá-las e convertê-las do pecado.

Memorizando os versículos bíblicos a sua vida espiritual será fortalecida e poderá evangelizar outros.Atualmente, o que se nota é que pais e professores estão falhando em desenvolver atitudes e qualidades nas crianças, porque dá mais trabalho caminhar nessa direção. Diz Ruth H. Yamamoto (Livro 52 jogos que ensinam a Bíblia). Podemos relatar histórias bíblicas e versículos sem leva-las a raciocinar, analisar e compreender o que a palavra de Deus diz.

Mas isto não trará nenhum resultado. Portanto ensine com todo amor e criatividade. Suas aulas podem ser divertidas se você preparar com antecedência valorizando os versículos Bíblicos.Observe sempre som que idade você vai trabalhar, se você tem crianças de 03 anos lembre-se de que elas precisam de repetição, repita várias vezes. Se seus alunos têm 06 anos de que estão aprendendo a ler deixe-os ler direto na Bíblia. .Se seus alunos são juniores eles gostam de estórias de pessoas reais.Em que o versículo pode ser aplicado de acordo com a atitude do personagem.
Agora atenção ao ensinar os versículos:

.1. Leia o versículo diretamente de sua Bíblia
2. Explique as palavras difíceis e repita-os várias vezes
3. Explique o versículo, ou seja, aquilo que eles vão colocar em pratica
4. Repita-o usando maneiras diferentes de memorização e sempre fale a referência

Incentivando a Memorização

Procure ensinar o versículo logo no princípio, depois do louvor.
Ensine também no meio da lição, pois sempre há um ponto onde deve se ensinar o versículo..
* Faça esta parte da aula interessante para que eles gostem de memorizar.
* Escolha versículo que tenham valor para vida espiritual da criança e que combinem com o ensino da lição.
*Faça uso do quadro negro.
*Faça cartazes
*Use flanelógrafos preparando figuras que ilustrem algumas palavras do verso e letreiros.
*Use gestos que combinem com o sentido do versículo como nos cânticos (Ap. 3:20)
*Cante versículos musicados.
*Faça perguntas que o versículo responda.

Métodos que podem ser usados:

*Varal Quebra-cabeça
*Vareta
*Cartazinho
*Jogral
*Teatro
*Versículos ilustrados

ENVOLVENDO JOVENS E ADOLESCENTES NO TRABALHO COM CRIANÇAS:


O que é preciso fazer ???

Será melhor voltarmos os olhos para o nosso Mestre e observarmos o que Ele fez, o que é mais importante e imitarmos os passos que Ele deu para motivar.
Podemos utilizar o método que Ele usou;
são apenas cinco passos.

Assim, Chegou pois a uma cidade de Samaria, chamada Sicar, perto das terras que Jacó dera a seu filho José. Havia ali o poço. Jesus, casando da viagem, sentou-se à beira do poço. Isto se deu por volta do meio-dia. Nisto veio uma mulher samaritana tirar água. Disse-lhe Jesus: Dê-me um pouco de água.” João 4.5-7 NVI

1º Passo: Prender a atenção (vs.7).

“Dá-me um pouco de água”. Para aquela mulher, o fato de um homem, judeu, rabi, falar com uma samaritana. Era de causar curiosidade! Não foi pelo pedido em si mesmo, e sim
Quem estava pedindo.
Culturalmente era pouco provável que alguém como Jesus pedisse água a um samaritano.
Sem contarmos com o tipo de samaritano que se tratava: Mulher e ainda mais, prostituta!.Jesus “prendeu a atenção” daquela mulher.
Quando estamos pensando em motivar nossos adolescentes e jovens para um projeto com crianças, precisamos despertar neles, a atenção..Como posso despertar atenção dos adolescentes e jovens de minha Igreja ou Comunidade?.
1.______________________________
2.______________________________
3.______________________________
4.______________________________

2º Passo – Desperte a curiosidade (vs.9,10).

A duração da atenção é efêmera. É preciso despertar a curiosidade ou interesse dos nossos ouvintes.

.Jesus despertou a curiosidade desta mulher:


Presente de Deus - “Dom de Deus”
A identidade de Jesus - “Quem é que te pede”
Água viva - “Ele te daria a água viva”

3º Passo – Estimule a necessidade Consciente (vs. 13-14).

Jesus sabia que a mulher faria qualquer coisa para não precisar voltar naquele poço para tirar água. – “nunca mais terá sede”..Quanto mais você se aproxima das necessidades preexistentes de seu grupo, mais fácil será estimula-lo.

4º Passo – Trazer à tona a real necessidade (vs. 16-18).

A mulher neste momento já motivada e Jesus mostrou sua real necessidade, no caso a Salvação.

5º Passo – Satisfazer a real necessidade (vs. 25-26).

Satisfazer a necessidade não é algo que acontece por acaso. Tem que ser planejada. Se Jesus não houvesse tratado da necessidade dela, sairia do mesmo jeito de quando chegou ao poço..Se podemos ousar em resumir o que foi dito relativo a motivação, podemos dizer que:“Precisamos criar a necessidade nos nossos adolescentes e jovens”.




Exemplos Bíblicos

Veja os exemplos de Jovens que foram usados por Deus:
a) TIMÓTEO – Atos 16.1-2; I Timóteo 4.12/5.1
1. Ninguém pode desprezar o jovem
2. Você não pode se desprezar
3. Deus não despreza o jovem – I João 2.14
4. Seja padrão (v.1)

a) Conceito Humano – Alguém tem qualidades que ninguém mais possui.
b) Conceito da Palavra de Deus – Ser padrão para Paulo era ser modelo, forma dos fiéis tanto, adultos como jovens, deveriam ser influenciados pela vida de Timóteo.

I. DanielII.
SamuelIII.
Outros: Josías, Silas, Tito,etc.
IV. E você...Se quiser influenciar adolescentes e jovens seja exemplo = PADRÃO

sexta-feira, 11 de janeiro de 2008

PROFESSOR, VOCÊ É ÍNTEGRO?

Como você responderia a estas perguntas difíceis?


• Você alguma vez telefonou dizendo que estava doente quando não estava?

• É necessário dizer a um balconista que ele está cobrando menos do que devia?

• Você costuma enfeitar um acontecimento para torna-lo mais interessante?

• Supondo que o governo não tivesse meios de descobrir determinada fonte de renda, é permissível não incluí-la em sua declaração?

• É certo levar uma toalha, sabonete, ou outra “lembrança” de um quarto de hotel ou restaurante, desde que tais coisas foram embutidas no preço?

• É certo dizer “mentiras brancas” quando elas fazem as pessoas se sentirem bem a respeito de si mesmas?


Quando você lida com questões desse tipo, está tratando de assuntos de integridade, idoneidade. O que é integridade?

É retidão, honra, honestidade, probidade, veracidade, bondade, responsabilidade, fidelidade, confiabilidade, sinceridade, É cada uma dessas qualidades e mais ainda.

Integridade é inteireza moral.


Os seus padrões morais fazem parte da sua vida?


Um olhar para os outros membros da família de palavras da integridade pode ajudar-nos a compreender melhor o conceito.

Vejamos íntegro ou integrar, por exemplo.

Íntegro: É um número inteiro em contraste com uma fração; as pessoas integrar possuem inteireza intima, elas não estão divididas por dentro.

Integrar: É tecer ou combinar entidades separadas em um todo ou unidade: Homens, mulheres, meninos e meninas com integridade são indivíduos cujos padrões morais fazem parte da sua vida.

Eles possuem convicções firmes sobre o que é certo e as seguem todo o tempo, em cada aspecto da vida, não importa onde ou com quem estejam. As pessoas íntegras são aquelas cuja vida é caracterizada pela excelência moral.Elas não comprometem seus padrões para obter lucro pessoal (Provérbios 28.6). Por mais que desejam o sucesso financeiro e a aprovação de outros, os homens e mulheres íntegros se recusam a enganar: Não prejudicam um colega para obter o favor do chefe, não mentem a respeito da condição de um carro usado, não fraudam as reclamações de seguro. Irão silenciosa e amorosamente vencendo o constrangimento ou perda.


Você talvez não seja popular, mas obterá confiança.


Tenha como alvo a integridade na sua vida pessoal. A etiqueta de preço pode ser alta, mas trará boas compensações, uma das quais é a confiança. A integridade irá suprir a base firme a qual você pode construir relacionamentos sólidos. Isto nos leva então á questão do ensino de crianças.Como a integridade está ligada ao ensino de crianças? A confiança é um elemento essencial dos relacionamentos sólidos. Só quando os alunos passam a confiar em você, eles vão aceitar o que você tem para transmitir. Como pessoa e como professor íntegro, você deve constantemente mostrar-se digno de confiança.


Integridade no Ensino: Uma Questão de Dizer e Fazer.


Comece dizendo o que você vai fazer. A seguir, não deixe de fazer o que disse. Isso parece simples, mas é na verdade difícil porque há muitas maneiras de “dizer” o que faremos.Ao assumir a responsabilidade de ensinar, você está “dizendo” que vai estudar diligentemente a Bíblia e o material da lição. As lições que você apresenta, os versículos que explica, os jogos que planeja representam o melhor dos seus esforços? Eles mostram que você tem integridade? Aceitar uma classe é também “dizer” que estará presente na hora marcada (e até mais cedo!). É “dizer” que será um bom exemplo para os do seu grupo. É dizer, “Podem contar comigo”. As crianças precisam de adultos com quem possam contar, até mesmo nas pequenas coisas.As crianças aprendem mediante o que ensinamos a elas, mas aprendem muito mais pelo que lhes mostramos. Precisamos honrar até mesmo as menores promessas que fazemos às crianças. Por exemplo, se você prometer aos alunos que terá uma surpresa para eles na próxima semana, não ouse esquecer! Eles estarão esperando ansiosos. E quando você mostra integridade ao cumprir a sua palavra, está ensinando a eles que devem também cumprir a sua palavra.


As Suas Palavras e Atos Estão de Acordo com a Palavra de Deus?


Nossos atos devem estar de acordo com as nossas palavras e também com a palavra de Deus. Peça ao Senhor que o ajude a comportar-se diante dos alunos de maneira agradável a Ele e conforme os princípios que você está ensinando. Se costuma repreender uma criança com facilidade, não espere grandes resultados de uma história sobre como conter o seu gênio. Do mesmo modo, apresentar uma lição sobre mostrar amizade será inútil se você não cumprimenta e trata as crianças cordialmente. Mesmo depois de conhecermos o Senhor, devemos lutar com a nossa carne pecadora. Todos os dias, cada um de nós, até certo ponto, entram no “palco”. Tentamos nos apresentar como pessoas sempre verdadeiras, honesta, bondosa, generosas, confiáveis, todavia, às vezes esticamos a verdade, fazemos um comentário pouco bondoso, ficamos com algo que não é nosso, ou deixamos de cumprir uma promessa. Nos tornamos então divididos – hipócritas, usando máscaras. A integridade paira muito acima de nós, uma impossibilidade inacessível. Mas, não é.


Mantendo a Integridade Quando Você Falha


Mesmo quando agimos mal, podemos mostrar integridade sendo verdadeiros com Deus e conosco mesmos. Ser perfeito não é a chave para ser um individuo íntegro; a chave é prestar sempre contas a Deus. Quando falhar, admita. Trate com o seu pecado imediatamente. Confesse-o a Deus e, quando necessário, peça perdão a outros e faça restituição. A seguir perdoe a si mesmo e mantenha seu coração aberto para Deus. Ouça a promessa consoladora dele: ”Porque assim diz o Alto, Sublime, que habita a eternidade, o qual tem o nome de Santo: Habito no alto e santo lugar, mas habito também com o contrito e abatido de espírito, para vivificar o espírito dos abatidos e vivificar o coração dos contritos” (Is 57.15). Note que não há menção do “perfeito”. Em vez disso, nosso Deus misericordioso está procurando homens e mulheres que enfrentam humildemente o seu pecado com corações quebrantados. (Veja também Salmos 34.18/ Isaías 66.2)Você mostra integridade quando admite seu pecado a Deus. Ele já sabe – Vê você como é, quer goste disso ou não. Aprenda a encontrar alegria no total conhecimento que Ele tem de cada pensamento, palavra e ato seu. Deus o aceita e ama; Ele está disposto a trabalhar com você, sabendo exatamente quem é. Que realidade esplêndida! Quando Davi compreendeu essas tremendas verdades, ele gritou: ”Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração, prova-me e conhece os meus pensamentos; vê se há em mim algum caminho mau e guia-me pelo caminho certo”. (Sl 139.23,24). Faça dessa a sua oração.


O Alvo da Integridade: Tornar-se Como Cristo .


Não seremos perfeitos até que alcançamos a eternidade, mas Deus quer que desejemos ser como o seu Filho. Ele próprio fará a obra em nós, transformando as nossas vidas cada vez mais, á medida que nos entregarmos a Ele.Vamos decidir praticar a integridade e guiar as crianças a fazerem o mesmo. Vamos pedir a Deus que nos torne professores cujas palavras sejam confiáveis. Os jovens corações irão então abrir-se para receber de nós as grandes verdades da Palavra de Deus.

ENSINANDO A CRIANÇA DE LARES PROBLEMÁTICOS.

Nenhum lar está isento de problemas.
Porém, um número cada vez maior de famílias, em nossos dias são disfuncionais.
As famílias entram às vezes em crise quando um dos pais falta, seja por causa de morte, suicídio, ou divórcio. Padrões destrutivos também são encontrados até mesmo nos lares em que os dois, pai e mãe, estão presentes. Alguns pais tão traumatizados por eventos penosos que viveram no passado que não conseguem satisfazer as necessidades dos filhos.
É enorme o número de crianças obrigadas a viver em ambientes negativos devido irá crônica, negligência, ou outras formas de abuso.
Procure Entender a Percepção das Crianças de Lares com Problemas
As crianças de lares com problemas são muitas vezes perseguidas por sentimentos de medo ou desespero. Muitas sentem solidão e isolamento, pensando que seus problemas são únicos. Elas ficam confusas porque amam os pais, porém sentem-se geralmente impelidas pelo desejo de obter a aceitação dos pais – mesmo que essa seja impossível.
Quando fracassam em suas tentativas de agradar, sua falsa culpa (sentir-se mal sobre o que pensam ter feito) se transforma em vergonha (sentir-se mal sobre quem pensam que são) e acabam convencidas de que não têm valor.
Fique Atento aos Sintomas das Crianças Magoadas
As crianças de lares com problemas aprendem três regras:
NÃO CONFIE /NÃO SINTA /NÃO FALE.
Muitas delas transferem essas regras para o relacionamento fora de casa. Embora muitos desses meninos e meninas vivam continuamente em um estado de negação, construindo mundos de fantasia para bloquear os seus problemas, outros podem torna-se calados, não se comunicando com naturalidade. Num grupo, essas crianças muitas vezes parecem desatentas ou retraídas. Elas talvez tenham dificuldade em prestar atenção ou não queiram participar das atividades. Algumas crianças magoadas podem demonstrar irá ou agressividade.
Outras podem se agarrar ás pessoas ou bancar o palhaço, mostrando sua necessidade de aceitação e afeto ao solicitar atenção permanente – de maneira positiva ou negativa.
Um desafio enfrentando pelos que trabalham com crianças é discernir a razão do comportamento delas. Precisamos de ajuda do Espírito Santo para descobrir quais as crianças cujos problemas exigem tratamento especial.
Devemos lembrar que as necessidades de todas as crianças (de todo mundo, por sinal) são basicamente as mesmas. Todos precisam de respeito e atenção, incentivo e amor. O professor desempenha às vezes um papel vital como o único adulto capaz de ajudar crianças carentes, a ver o seu valor aos olhos de Deus.
Permita que Deus use Você para Satisfazer as Necessidades das Crianças Perturbadas.
1. Planeje sua aula de modo que Cristo seja o tema Central. Ao trabalhar com crianças necessitadas, compreenda que a melhor maneira de resolver os problemas delas é fazê-las conhecer a Deus, recebendo Jesus Cristo como Salvador e Senhor.
Evangelize e discipule: apresente às crianças Aquele que irá acompanhá-las vida a fora para satisfazer cada necessidade.
2. Faça cada criança sentir-se bem-vinda e aceita. Neutralize os sentimentos de rejeição que as crianças possam ter, cumprimentando cada uma com um sorriso amigo, uma palavra amável, e a mão no ombro. Demonstre-lhes que você está contente com a presença delas. Trate cada uma com respeito. O amor de Deus por nós não se baseia em nossa aparência ou no que fazemos.
3. Torne sua classe um lugar seguro e estável. Para as crianças cuja situação familiar é caótica, um ambiente agradável e ordeiro, com certa rotina, pode ser um oásis. Peça ajuda de Deus para capacitá-lo a ser bem–humorado e mostrar amor.
4. Discipline adequadamente. Os lares com problemas são freqüentemente caracterizados por padrões de disciplina rígidos, inconsistentes ou permissivos. Estabeleça, explique e reforce regras simples para classe, com palavras bondosas, firmes e consistentes. Quando for necessária correção, critique o comportamento e não a criança. Deixe que esta saiba que você acredita que ela pode melhorar.
5. Ofereça um programa interessante e desafiador. As crianças com problemas dificilmente tem oportunidade de participar de divertimentos saudáveis. Procure envolve-las em atividades criativas que lhes irão estimular o crescimento. Ajude as crianças carentes a preencher os vazios em sua vida diária, sugerindo maneiras de passar as horas de lazer ou solidárias em atividades que agradem ao senhor. Ensine-as a escolher os amigos com sabedoria. Ajude-as a conhecer livros cristãos. Considere levá-las a passeios e excursões no campo.
6. Modele a vida cristã vitoriosa. Você pode ser o único adulto salvo na vida de uma criança necessitada. Deixe que os meninos e meninas vejam Cristo em você. Não tente dar ás crianças a falsa impressão de que você é perfeito; em vez disso, seja transparente. Quando apropriados, conte as dificuldades que enfrentou e explique as maneiras como foi ajudado por Deus durante as crises.
7. Ouça as crianças e incentive-as a falar. As crianças que passam por problemas quase sempre precisam expressar seus temores e preocupações. Fique à disposição delas e tome tempo para ouvi-las com atenção. Pergunte às crianças sobre os seus interesses e atividades. Enquanto falam, faça comentários positivos. Não force detalhes, mas mostre que se importa sinceramente. Ajude as crianças a pensarem positivamente sobre elas mesmas e a desenvolverem alvos para o futuro. Ganhe a confiança delas, mantendo em sigilo as informações recebidas delas.
8. Assegure e encoraje as crianças. Assegure as crianças do amor e aceitação de Deus. Conte a elas que Ele deseja perdoar e salvar. Ajude-as a compreender que não precisam sentir culpa quando outros agem errado (membros mais velhos da família ou vizinho). Faça elas se sentirem especiais e dignas, elogiando a sua resistência. Compartilhe Escrituras que falem dos planos especiais de Deus para a vida de cada criança (por exemplo, Jeremias 29.11).
9. Desenvolva confiança. Mostre às crianças, pelas reações consistentes e piedosas, que você é digno da confiança delas. Evite criticar as crianças ou os pais. Não desperte as defesas delas nem aumente o conflito que já sentem. Sentem que fizer uma promessa, não deixe de cumpri-la rapidamente
.10. Ensine às crianças versículos-chave aos quais possam recorrer. Os meninos e meninas em situações difíceis precisam saber o que é errado e como agir certo. Eles necessitam do consolo das promessas de Deus. Ajude-os a guardar no coração versículos que falem dos padrões de Deus e os assegure do Seu amor e proteção.
11. Ore com as crianças e pro elas. As crianças de lares com problemas muitas vezes se sentem engaioladas, solitárias e com medo. Ajude-as a compreender que Deus está sempre vigilante e atento. Encoraje-as a se voltarem para Ele quando precisarem de ajuda. Mostre sua preocupação sincera, ore pelas necessidades especificas das crianças.

Estabeleça uma Política para tratar dos Problemas Graves de abuso
Uma criança pode precisar de mais ajuda do que você pode dar. Prepare uma política-padrão para tratar dos casos de abuso severo. Se achar que uma criança está sendo fisicamente maltratada ou abusada sexualmente, é necessário notificar às autoridades. Consulte o seu supervisor ou Pastor.
Ajude a criança a compreender que você tem a responsabilidade de protegê-la. Assegure-a do seu amor e apoio contínuos.

A FORMIGUINHA E A NEVE.

Para ouvir esta história, feche os olhos e imagine uma cidade bem bonita.
Uma cidade onde bicho fala e homem entende.
Nessa cidade, havia uma formiguinha que trabalhava sem parar. Ficava o dia inteiro procurando alimento para que quando o inverno chegasse ele não lhe faltasse.
Nos dias difíceis de trabalho, a formiguinha se alegrava com o canto da cigarra.
- Como é bom ouvir dona Cigarra cantando!
Um dia, sabendo que o inverno estava quase chegando, ela correu para buscar uma última folhinha que havia deixado perto de uma árvore.No caminho, de repente, caiu um floco de neve bem em cima do seu pezinho.
E a pobrezinha ficou presa!Desesperada, sem saber como soltar o seu pezinho, ficou com medo de morrer de fome ou de frio e começou a gritar:
- Socorro! Quem vai me libertar deste floquinho de neve?Foi quando viu o Sol no alto do céu e pediu:
- Ó! Sol, você que é tão forte, por favor, derreta a neve e desprenda o meu pezinho...
O Sol respondeu:
- Pobre Formiguinha! Eu não sou tão forte. Mais forte do que eu é o muro, que impede os meus raios luminosos e quentes de passar!
A formiguinha virou-se para o Muro e perguntou:
- Ó! Muro, já que o senhor é tão forte, que tapa o Sol, que derrete a neve, por favor, desprenda o meu pezinho!
O Muro virou-se para a Formiguinha e disse:
- Pobre Formiguinha, nada posso fazer! Mais forte do que eu é o Rato que me rói!
Desanimada, a Formiguinha viu um rato, apressado, passando bem perto do muro e perguntou:
- Ó Rato, me ajude! O senhor que é tão forte, que rói o Muro, que tapa o Sol, que derrete a neve, desprenda o meu pezinho!
O Rato, seguindo o seu caminho apressadamente, fugindo do frio, respondeu:
- Pobre Formiguinha; mais forte do que eu é o Gato, que me come!
Já com poucas forças, a Formiguinha avistou o Gato:
- Por favor, senhor Gato, me socorra. O senhor que é tão forte, que come o Rato, que rói o Muro, que tapa o Sol, que derrete a neve, desprenda o meu pezinho!
O Gato, caindo de sono, respondeu:
- O Cão é mais forte do que eu. Ele vive me perseguindo.
Desanimada, sem saber como sair dali, viu que um cão passava por perto:
- Por favor, senhor Cão, você que é tão forte, que corre atrás do Gato, que come o Rato, que rói o Muro, que tapa o Sol, que derrete a neve, desprenda o meu pezinho!
O Cão, sem dar muita atenção à Formiguinha, respondeu:
- Mais forte do que eu é o Homem, que me bate.
Já perdendo a coragem de viver, sentindo o frio aumentar, viu um homem vindo ao longe. Quando ele chegou perto, ela implorou:
- Por favor, Homem, você que é tão forte, que bate no Cão, que persegue o Gato, que come o Rato, que rói o Muro, que tapa o Sol, que derrete a neve, desprenda o meu pezinho!
O Homem, sentado em uma pedra, preocupado só com a sua vida, respondeu:
- Mais forte do que eu é a Morte, que me mata!
Já bem fraquinha e com muito medo, viu dona Morte se aproximar e implorou:
- Dona Morte, a senhora que é tão forte, que mata o Homem, que bate no Cão, que persegue o Gato, que come o Rato, que rói o Muro, que tapa o Sol, que derrete a neve, desprenda o meu pezinho!
E dona Morte, sem nenhum sentimento, respondeu:
- Mais forte do que eu é Deus, que me governa!
Percebendo que ia morrer, a Formiguinha abaixou a cabecinha e começou a orar baixinho:
- Meu Deus, o Senhor que é tão forte, que governa a Morte, que mata o Homem, que bate no Cão, que persegue o Gato, que come o Rato, que rói o Muro, que tapa o Sol, que derrete a neve, desprenda o meu pezinho!
Deus, que tudo ouve e a todos socorre, mandou que a primavera chegasse, enchendo os campos de flores e o céu de luz e brilho.
Vendo a Formiguinha quase morta de tanto frio, colocou-a entre as suas mãos e lhe fez um carinho.
Depois, levou para o seu reino onde não havia inverno, onde o sol brilhava todos os dias, enchendo os campos de flores, de alegria e de paz.E esta história entrou no ouvido e saiu no meu coração...(Adaptação da história feita pelas autoras da coleção de livros “Baú do Professor – Histórias e Oficinas Pedagógicas)

QUEM É VOCÊ?

DE QUAL ESTADO BRASILEIRO VC È/

NOSSA FAMÍLIA LINDA

CULTO INFANTIL DIA 12/10/08-NA IEQ - BAIRRO NOVA AMÉRICA VILA VELHA

I MOSTRA DE COREOGRAFIAS INFANTO JUVENIL- 27/09/08 .IEQ DE NOVA AMÉRICA - VILA VELHA - E.S

MINISTRAÇÃO NO RETIRO DA IGREJA BATISTA RENOVADA - NO SÍTIO FÉ NA ESTRADA -SETEMBRO DE 2008

MINISTRAÇÃO DO TIO FABRÍCIO - CULTO - I.E.Q BAIRRO CONSOLAÇÃO - VITÓRIA

FESTA DO ESQUISITO

CULTO DE MISSÕES - ABRIL 2008

CULTO DE PÁSCOA -2008

CULTO INFANTIL FEV.2008

CONGRESSO DE LIDERANÇA DO MINISTERIO INFANTIL QUADRANGULAR NO E.S - MAIO DE 2008

CULTO DIA DAS MÃES- MAIO DE 2008

CONFRATERNIZAÇÃO- JANEIRO DE 2008

CULTO DE TALENTOS -NOVEMBRO DE 2007 (em breve mais fotos)

CULTO DIA DAS CRIANÇAS -2007

CULTO MELZINHA ABELHINHA - AGOSTO DE 2007