terça-feira, 24 de março de 2009

MÚSICA - ATRAÇÃO E MENSAGENS PARA AS CRIANÇAS

A. INTRODUÇÃO:



Vivemos em um tempo de muita música. Os avanços tecnológicos têm facilitado tanto a produção como a distribuição de material musical as pessoas. Com apenas um computador, você pode gravar um CD com relativa qualidade. Estamos imersos no mundo da música. Há música em casa, na escola, na televisão, nos restaurantes, nos “shoppings”, pela rua e em todo lugar. Mesmo assim, o período de cânticos nas nossas aulas muitas vezes tem sido um desastre. Tradicionalmente, os evangélicos sempre foram um povo que souberam utilizar bem a música. Desde Lutero, que revolucionou a música sacra, trazendo a música popular para dentro do culto, muito tem acontecido na área musical da igreja.


Hoje vivemos um tempo de consumismo exacerbado, até mesmo dentro das igrejas. Muitas bandas e cantores evangélicos vendem sua música, inclusive para as crianças, sem muito critério de qualidade musical ou profundidade teológica na poesia. Onde nós, professores de crianças, ficamos em tudo isso? Entramos nessa onda e vamos usando todo tipo de material ou nos colocamos em posição defensiva, insistindo nas mesmas músicas que sempre foram utilizadas com as crianças? Será que existe um ponto de equilíbrio em tudo isso? Como podemos atrair as crianças de hoje com músicas que, além de encantadoras, contenham a mensagem que queremos transmitir? É o que vamos discutir em nosso seminário.


1.Base Bíblica

A Bíblia fala em vários lugares sobre cantar, louvar e adorar ao Senhor, porém há um trecho em especial onde aparecem crianças louvando a Jesus. Em Mateus 21:15 encontramos Jesus no templo e crianças gritando: “Hosana ao Filho de Davi!” Quando questionado pelos sacerdotes e escribas, Jesus cita o Salmo 8:1 e 2 e nos premia com uma das declarações mais lindas da Bíblia: “Da boca de pequeninos e crianças de peito tiraste perfeito louvor.” Isto nos dá a entender de que é possível a criança, mesmo pequenina, louvar e adorar ao Senhor. Perceba a alegria das crianças em louvarem a Jesus, elas estavam gritando de tão animadas. Perceba também a verdade proferida por elas, verdade que muitos adultos ainda não tinham compreendido.

2. Os cânticos na aula.

Em primeiro lugar, vamos definir de que cânticos nós estamos falando. Os cânticos usados durante a aula são diferentes das músicas que usamos para um coral infantil ou outras apresentações musicais. Eles devem ter algumas características, as quais relacionamos a seguir:

a) Melodia simples.


Uma linha melódica simples e fácil de se aprender, que não exija muito esforço para se cantar. Sem saltos demasiados e em uma tessitura adequada às crianças. Que seja agradável o suficiente para que a criança tenha vontade de cantar.

b) Relativamente curtos.

Canções muito compridas se tornam cansativas. Conforme a idade das crianças varia o tamanho do cântico. Crianças menores, cânticos menores e crianças maiores, cânticos maiores.

c) Fáceis de decorar.

Os melhores cânticos para uma aula são aqueles fáceis de aprender. Se ensinados na classe, a criança, ao chegar em casa, consegue cantar para a família, pelo menos o estribilho.

d) Mensagem bíblica e clara.

A letra do cântico deve conter verdades bíblicas. Não deve ter elementos duvidosos ou que não podem ser provados pela Palavra de Deus. A letra também deve ser clara o suficiente para que a criança compreenda o que está cantando.

B. ATRAÇÃO

A criança não canta por obrigação, mas o faz por prazer. Para ela é natural cantar quando está alegre, quando está brincando ou fazendo outras coisas de que gostam. Porém, não são todas as músicas que atraem a criança e não são todas as crianças atraídas pelo mesmo tipo de música. Depende muito da vivência musical de cada uma. A família, a escola e a televisão são alguns dos fatores que influenciam no seu gosto musical. Quando ela chega para o período de cânticos, ela tem algumas expectativas do que vai acontecer. Nós, professores, também temos algumas expectativas deste período. Deus também. Como fazer para todas as expectativas envolvidas se harmonizem e tornem o período de cânticos agradável e atraente para todos?

1. Expectativa


a) O que a criança espera do período de cânticos.

(1) Que seja prazeroso.


Não há nada pior para a criança do que ser obrigada a fazer algo que ela não goste ou que ache chato. Lógico que na vida nem tudo é prazeroso, porém cantar não deve nunca parecer chato ou monótono. A criança precisa sentir prazer no que faz. Ela espera vibrar quando canta e não quer ouvir bronca de que está cantando baixinho, que está desanimada ou desafinada. Se ela não achar graça na música, ela automaticamente se inibe em cantar.

(2) Que seja possível a sua participação.

Também é muito difícil a criança se interessar por cânticos que não consiga cantar. Seja porque a melodia está numa tessitura inadequada, a letra é tão complicada que ela não consegue pronunciar ou o cartaz está tão ilegível que ela não consegue ler. Se ela não consegue acompanhar, perderá o estímulo de cantar. Criança também não gosta muito de sentar quieta para ouvir música. Ela não tem muita paciência de assistir grupos musicais se apresentando, a não ser que haja todo um esquema para ela se interessar, como um show.

(3) Que ela possa se expressar através dos cânticos.




A música deve falar o que a criança sente, tanto no aspecto musical, como poético. Se for uma música que não tem nada a ver com a realidade dela, ela logo se desinteressará. Uma letra fora do contexto infantil acabará por fazê-la viajar e não prestar atenção no que está fazendo. Ela precisa sentir que o cântico faz parte do seu mundo e que a poesia fala sobre o que ela sente.

(4) Que contenha elementos conhecidos.

Um momento de cânticos onde tudo é novo, fica complicado para a criança. A não ser que seja a primeira vez dela na classe, a criança quer ouvir e cantar o que já é conhecido. Criança gosta de repetição. E quanto mais nova ela for, mais repetição deve haver. Devemos ensinar cânticos novos, porém sempre temos de cantar os já conhecidos. A poesia deve falar do que a criança conhece. Se ela não sabe o significado do que está cantando, logo ela vai perder o interesse. Não que tudo tenha de ser conhecido, mas deve haver pontos que remetam a momentos anteriores.

b) O que o professor espera do período de cânticos.


(1) Que todas as crianças participem com interesse.

É evidente que o professor quer que todas as crianças cantem e participem com alegria do momento de cânticos. É frustrante ver crianças desatentas ou

desanimadas durante este período. Não há nada mais gratificante que ver o rostinho brilhando, enquanto cantam e louvam a Deus.

(2) Que auxilie os demais períodos da aula.

O professor espera que os cânticos levem ao louvor e à adoração. E

que ajudem com a reverência na oração, na atenção para a lição bíblica, na animação para os concursos, no interesse por missões, e assim criar o clima para cada período da aula.

(3) Que haja praticidade na sua elaboração.

Hoje em dia o professor não dispõe de tanto tempo para preparar sua aula. Ele quer tudo pronto. Quando ele pensa nos cânticos, ele gostaria de receber os visuais já preparados e os cânticos gravados com play-back.

c) O que Deus espera do período de cânticos.

1- Ser adorado e louvado dignamente.

No Salmo 108, Davi diz que quer cantar e entoar louvores de toda a sua alma. Deus procura verdadeiros adoradores que o adorem em espírito e em verdade (João 4:23). As crianças podem ser verdadeiros adoradores.

(2) Corações quebrantados.



No Salmo 137, vemos o povo chorando e pendurando suas harpas nos salgueiros da Babilônia, pois eles não suportavam cantar mais os cânticos de Sião. Sentiam uma profunda saudade da pátria. Deus utiliza-se do poder da música para quebrantar os corações. A mensagem divina aliada à música pode tocar profundamente a vida das crianças.

2. Fatores de harmonização das expectativas.

A partir do que constatamos até agora, apresentamos algumas sugestões para tornar o momento de cânticos interessante, atraindo a atenção das crianças.

a) O professor deve ser um “verdadeiro adorador”.

Você não pode exigir que as crianças tenham atitudes de adorador se você mesmo não tem. Envolva-se na adoração e, mesmo sendo cânticos infantis, utilize-os na sua vida de adoração diária. Busque uma vida de adoração. Isso vale para os demais membros da sua equipe de louvor. Os instrumentistas também devem encarar o período de cânticos como um momento de adoração e não de apresentação. O clima de adoração deve partir de você para alcançar o coração das crianças.

b) Os cânticos devem falar primeiro ao seu coração.

As crianças não vão ser tocadas, se você não for tocado primeiro. Veja se a mensagem do cântico fala ao seu coração. Se for um cântico de louvor, você deve ser capaz de louvar com ele. Se for um cântico de ensino, você deve ser ensinado por ele. As crianças devem perceber que o cântico é importante para você e aí se tornará importante para elas também. Conte alguma experiência sua sobre o cântico. Abra o seu coração às crianças e deixe-as saberem o quanto os cânticos são importantes para você.

c) Encare os cânticos com seriedade.

Se você não considera o momento de cânticos como algo sério, as crianças também não considerarão. Pelas suas atitudes, elas perceberão o que você pensa deste momento. Concentre-se no que você está fazendo. Leve a sua equipe a fazer isso também. Os músicos devem estar compenetrados no louvor. Mesmo os demais adultos que estiverem presentes, devem participar como se fosse para eles. Não deixe adultos conversarem durante este período. Não é a hora do professor dar uma última lida na lição ou organizar os lápis e as tesouras para o trabalho manual. É a hora de todos juntos louvarem ao Senhor. Se há gestos, todos fazem os gestos. Se for para ficar em pé, todos ficam em pé. Assim as crianças perceberão que é um momento muito importante e sério na presença de Deus.

d) Escolha cânticos adequados às crianças.

Observe bem a letra do cântico. Veja se ela tem algo a ver com as crianças e com a lição bíblica que você tem para aquele dia. Observe a música, se é adequada à idade das crianças. Coloque os cânticos em uma seqüência lógica para que faça sentido o que você está cantando. Não deixe para escolher as músicas na última hora. Não deixe para as crianças escolherem os cânticos. De vez em quando até pode ser, porém as crianças devem entender que é você quem dirige o período de cânticos.

e) Prepare-se melhor para o período de cânticos.

Escolha os cânticos, confeccione os visuais, saiba cantá-los, ensaie com os instrumentistas ou com o play-back e tenha tudo sob controle. Veja se os visuais estão na ordem, se o retroprojetor está funcionando ou se o microfone está ligado antes de começar. Não deixe parecer um período desorganizado. As crianças devem sentir que, apesar de divertido e prazeroso, é um período de reverência na presença de Deus.

f) Use visuais criativos e bonitos.

Cartazes rasgados, letras mal escritas na transparência, figuras mal feitas tiram todo o brilho do seu momento de cânticos. Renove os seus visuais. Conserve-os. Não deixe as crianças manusearem. Se forem feitos em transparência para retroprojetor, faça-os coloridos e chamativos. Se forem feitos no computador, perceba se estão bem visíveis. Treine a pessoa que vai ajudá-lo a segurar os cartazes, a colocar as transparências no retroprojetor ou comandar o data-show.

g) Apresente os cânticos novos de forma criativa e interessante.

Conte uma experiência interessante sobre o cântico. Deixe um fantoche apresentar o cântico. Lembre-se de que a primeira vez que a criança ouvir o cântico, vai marcá-la para sempre. Apresente o cântico com tudo o que tem direito para que ela tenha uma boa impressão da música e sinta vontade de aprendê-la.

h) Fique atento às novidades.

Não despreze as novidades. Paulo diz para examinar tudo e reter o que é bom. Examine as novidades que tem no mercado e utilize-as da melhor forma. Perceba o que está na moda e tente adaptar a sua realidade. Não utilize algo se não tiver significado para você ou para as crianças, porém lembre-se que nem tudo o que é novo, é sempre ruim.

i) Não despreze um cântico por ele ser antigo.

Lembre-se que mesmo que um cântico pareça antigo porque você o conhece desde criança, ele pode ser novo para as crianças. Aliás, todos os cânticos são novos para as crianças, pois elas estão começando sua vida agora. Elas não se lembram de dez, vinte ou trinta anos atrás, porque elas não viveram naquela época. Assim como as crianças de todas as gerações gostam de cantar músicas como “Marcha Soldado”, “Atirei o Pau no Gato”, entre outras, elas também sempre vão gostar de cantar “Pare!”, “Deus é Bom pra Mim!”, “Mesmo Que Eu Não Marche”, etc.

j) Dê roupa nova a cânticos antigos.

Às vezes, um cântico antigo precisa de uma roupa nova. Um arranjo musical diferente, com um ritmo mais animado. Um visual novo, com figuras interessantes. Uma coreografia com gestos diversificados. Aquele cântico que parecia fadado ao esquecimento, pode tornar-se vivo de novo e abençoar a vida das crianças.

k) Esforce-se para que as crianças tenham um louvor equiparado ao dos adultos.

Como é o período de louvor na sua igreja para os adultos, assim deveria ser para as crianças também. Se a sua igreja tem vários instrumentistas para tocar para os adultos, não se contente em cantar a capela. Encoraje os instrumentistas da igreja a tocarem para as crianças também. Mostre a eles que é um investimento na vida das crianças. Exponha a importância das crianças cantarem e desafie-os a ajudarem você neste ministério. Apenas tome cuidado em orientá-los de como deve ser o som para as crianças. Os instrumentos nunca devem estar com o volume muito alto, nem serem tocados de forma agressiva. Eles devem acompanhar as crianças e não encobri-las. Sempre deve haver um instrumento que reforce a melodia, pois isso é importante para as crianças. Quem canta, deve fazê-lo com a voz mais natural possível e se houver microfones, estes devem estar em um volume adequado ao ambiente, de forma que as crianças consigam ouvir o que estão cantando.

l) Anime as crianças a estudarem música.

Se o gosto musical de suas crianças lhe parece duvidoso, anime-as a estudarem música. Infelizmente, o ensino de música nas escolas hoje é precário e as crianças ficam à mercê do mercado musical, que nem sempre é o melhor para elas. Incentive a igreja a ter uma escola de música, que ensine as crianças a tocarem vários instrumentos, desde os eruditos aos populares. Veja se não há alguém para montar um programa de musicalização infantil na igreja. Isso vai expandir o horizonte das crianças, aumentar-lhes o conhecimento de música e ampliar o seu gosto musical.

C. MENSAGEM

Tudo bem, agora eu sei como atrair as crianças com os cânticos, mas como saber se realmente eles vão atingir os objetivos que tenho para elas? Para isso, podemos dividir os cânticos pelo tipo de mensagem que cada um contém, para que possamos dosá-los no período de cânticos e chegar ao nosso objetivo com as crianças.

1. Cânticos de Aquecimento.

São cânticos que necessariamente não têm uma mensagem muito profunda. Usamos apenas para aquecer e descontrair as crianças. Às vezes são apenas palavras repetidas com muitos gestos. Senta, levanta, ergue a mão, abaixa a mão, etc. São geralmente os cânticos que as crianças mais gostam, pois são os mais engraçados e divertidos, porém não podemos só cantar este tipo de cântico. Servem muito bem para dar início, finalizar a aula ou para um intervalo no meio da aula, porém não traz em si a mensagem que gostaríamos que as crianças levassem para casa. O principal neste tipo de cântico é a brincadeira e não a letra.

2. Cânticos de Louvor e Adoração.

São cânticos que falam sobre a pessoa de Deus, sua obra, seus atributos, a vida e paixão de Cristo e o trabalho do Espírito Santo. Não há muitos desses para as crianças, porém é importante para a criança aprender a louvar e adorar ao Senhor desde pequeno. Sempre devemos incluir algum cântico desta categoria no nosso momento de cânticos e incentivarmos as crianças a pensarem em Deus, em Jesus e no Espírito Santo como alguém que deve ser louvado e adorado.

3. Cânticos Didáticos.

Estes são a maioria dos cânticos que temos para as crianças. Eles vêm em auxílio daquilo que temos para a criança aprender naquele dia ou para criar o clima para determinado momento do programa. São os cânticos que falam de vários aspectos da vida cristã, como obediência a Deus, amor à Palavra, amor a Deus e ao próximo, firmeza na fé, entre outras coisas. São também os cânticos que preparam para o período de oração, dedicação das ofertas e missões. São também os cânticos que falam sobre o plano de salvação para que os que não salvos possam aprender e levar com eles a mensagem da salvação. Também são os cânticos que contam sobre a vida de personagens bíblicos e ensinam sobre os livros da Bíblia, os nomes dos apóstolos, etc.

4. Cânticos de Apresentação.

São cânticos que vamos usar para cantar na Páscoa, no Dias das Mães e dos Pais, no Natal e em outras datas comemorativas. Muitas vezes eles são de louvor ou didáticos também. Alguns têm apenas a função de serem apresentados aos adultos e depois esquecidos. Quando for assim, não devemos perder muito tempo com ensaios em detrimento do período de louvor das crianças. Devemos tomar cuidado para não nos preocuparmos tanto com apresentações e nos esquecermos do principal motivo pelo qual reunimos nossas crianças.

D. CONCLUSÃO

Aprendemos um pouco sobre como dinamizar nosso período de cânticos. Mas lembre-se: nada muda de um dia para o outro. Vá com calma e com persistência. Ore para que o Senhor oriente os seus procedimentos. Planeje o que você vai fazer primeiro e, passo a passo, coloque em prática suas novas idéias. Aos poucos você verá suas crianças se interessando cada vez mais pelo período de cânticos e, principalmente, tornando-se verdadeiros adoradores.

3 comentários:

  1. Márcia, excelente esse texto!
    Vc poderia acrescentar a autoria/fonte do texto?
    Muito obrigada!
    Bjs***

    ResponderExcluir
  2. eu nao li o testo kkkkkkkkkkkk aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa odeio adultooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo

    ResponderExcluir

QUEM É VOCÊ?

DE QUAL ESTADO BRASILEIRO VC È/

NOSSA FAMÍLIA LINDA

CULTO INFANTIL DIA 12/10/08-NA IEQ - BAIRRO NOVA AMÉRICA VILA VELHA

I MOSTRA DE COREOGRAFIAS INFANTO JUVENIL- 27/09/08 .IEQ DE NOVA AMÉRICA - VILA VELHA - E.S

MINISTRAÇÃO NO RETIRO DA IGREJA BATISTA RENOVADA - NO SÍTIO FÉ NA ESTRADA -SETEMBRO DE 2008

MINISTRAÇÃO DO TIO FABRÍCIO - CULTO - I.E.Q BAIRRO CONSOLAÇÃO - VITÓRIA

FESTA DO ESQUISITO

CULTO DE MISSÕES - ABRIL 2008

CULTO DE PÁSCOA -2008

CULTO INFANTIL FEV.2008

CONGRESSO DE LIDERANÇA DO MINISTERIO INFANTIL QUADRANGULAR NO E.S - MAIO DE 2008

CULTO DIA DAS MÃES- MAIO DE 2008

CONFRATERNIZAÇÃO- JANEIRO DE 2008

CULTO DE TALENTOS -NOVEMBRO DE 2007 (em breve mais fotos)

CULTO DIA DAS CRIANÇAS -2007

CULTO MELZINHA ABELHINHA - AGOSTO DE 2007